Você é o que te consome ou teria sido

Tem aquelas imagens que marcam a memória da gente para sempre, situações que não saem da lembrança pelo resto da vida. Uma pequena frase numa música jamais me saiu da cabeça, por ser de uma verdade irretocável.

“Você é o que te consome”.

Isso vai ao encontro do dito “você é o que você come” e é perfeito. Tanta coisa acontecendo e, veja você, qual o conteúdo mais lido no maior portal de notícias do país? É isso que estamos consumindo ou é isso que está nos consumindo?

O que estamos consumindo e o que damos de comer
O que estamos consumindo e o que damos de comer…

O vídeo de um bagre?

Esta me parece ser a chave desse tempo doido que estamos vivendo. Algo semelhante a um câncer, essa terrível doença que faz o corpo consumir o corpo. Veja bem: não se trata de autofagia.

Remete ao mito grego de Erisictão que, enfeitiçado, não saciava seu desejo de comer. Perdeu tudo que tinha até tornar-se mendigo que comia lixo. Quando não havia mais nada passou a comer a si mesmo, até o fim.

Mais ainda…

Curiosa também a chamada número 04. “Descoberta tumba original em que Jesus teria sido enterrado”.

Se “teria sido” corresponde a uma hipótese, com o perdão da palavra, não descobriram porra nenhuma.
O futuro do pretérito composto é usado para falar de coisas ou situações que poderiam ter acontecido no passado, mas que não aconteceram.

O jornalismo também está doente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *